Home Carreira médica 6 dicas para ser um médico empreendedor

6 dicas para ser um médico empreendedor

por IEFAP
médico empreendedor

Ter total autonomia para tomar decisões a respeito dos rumos do negócio, gerar emprego e renda, realizar sonhos: tornar-se um médico empreendedor tem diversas vantagens.

No entanto, para atingir esse objetivo é necessário muito mais do que habilidade técnica. Quando um profissional de saúde decide lançar-se no mundo do empreendedorismo, precisa ter a mente aberta para aprender mais sobre finanças, contabilidade, marketing, recursos humanos e uma série de outros temas.

Apesar de desafiador, o projeto é gratificante. Para evitar que erros básicos comprometam o sucesso da sua estratégia, conheça algumas dicas que podem fazer toda a diferença para quem quer começar a empreender!

6 dicas para ser um médico empreendedor

1. Defina a localização do consultório levando em conta seu público-alvo

Ainda que o mais importante para o sucesso de um médico empreendedor sejam seus conhecimentos e habilidades na área da saúde, escolher o local mais adequado para instalar a clínica ou consultório pode fazer toda a diferença na rapidez com que o fluxo de pacientes se torna constante.

É importante ter em mente que não há lugares “certos” ou “errados” para todos os profissionais. Antes de assinar o contrato, você precisa considerar o público-alvo que deseja atingir e seus hábitos de consumo e deslocamento.

Públicos das classes C e D, por exemplo, tendem a se deslocar preferencialmente com transporte público. Por isso, se você está pensando em montar uma clínica popular, por exemplo, certifique-se de que ela estará localizada em vias de fácil acesso e bem servidas pelos sistemas de ônibus e metrô.

Em contrapartida, pacientes das classes A e B, costumam priorizar consultórios localizados próximos ao local de trabalho e com vagas de estacionamento. Se o imóvel que você pensa em utilizar não dispõe desse  espaço, considere fazer um convênio com algum prestador de serviços das redondezas e inclua a informação na sua estratégia de divulgação.

2. Invista em marketing digital

Por falar em divulgação, consultórios de todos os portes podem se beneficiar do marketing digital para aumentar o fluxo de pacientes e fidelizar os já conquistados.

Portanto, o médico empreendedor não pode abrir mão desse tipo de estratégia se quiser para garantir o sucesso do seu negócio. Marcar presença nas redes sociais mais acessadas pelo seu público-alvo, por exemplo, ajuda a estreitar relacionamento com pacientes que já conhecem o seu consultório e tornar seu nome mais conhecido no mercado.

Outra boa prática é investir em um site oficial com design claro, intuitivo e otimizado para SEO. Lá, você pode hospedar um blog onde produza conteúdo relevante sobre sua área de atuação, o que além de aumentar sua relevância nos sites de busca, serve para manter suas redes sociais constantemente abastecidas e posicionar-se como referência no seu nicho.


3. Conheça bem a sua concorrência

Não é incomum que profissionais de saúde relutem diante dessa sugestão por entendê-la como uma tentativa de fazer uma cópia ou travar uma guerra com os concorrentes. Na verdade, conhecer o que fazem os profissionais que atuam na mesma área que você está bem longe disso.

Entender o que a concorrência está fazendo ajuda você a perceber suas principais deficiências e também a detectar seus diferenciais, aqueles aspectos que fazem com o seu consultório esteja um passo à frente do que é oferecido no mercado — e que, portanto, devem ser destacados na sua estratégia de marketing.

Tenha em mente que essa pesquisa da concorrência deve ser constante: se o seu concorrente passa a oferecer uma metodologia ou procedimento inovador, por exemplo, é importante que você esteja ciente disso para poder avaliar se chegou o momento de partir em busca de novidades para o seu consultório ou que outros diferenciais você pode oferecer para fidelizar seus pacientes.

4. Considere a possibilidade de contar com sócios ou investidores

Uma das dicas mais importantes para um médico empreendedor é fazer um planejamento adequado antes de iniciar o negócio. Assim como em qualquer outra área, abrir um consultório é uma atividade que demanda, além de um bom investimento, tempo, empenho e dedicação para gerar bons frutos.

Por isso, é importante que o médico empreendedor tenha metas realistas a respeito dos resultados da empreitada, especialmente na fase inicial. Para diminuir os riscos, pode ser uma boa ideia contar com o apoio de sócios, que aumentam a capacidade de investimento e possibilitam que a estabilidade seja alcançada com maior celeridade.

A medida que o consultório estiver mais estável, você pode considerar também fazer parcerias com investidores, que aportam capital para ajudar a viabilizar projetos de expansão do seu negócio.

5. Conte com o apoio de uma equipe capacitada

Não importa se você vai abrir o seu consultório com 1, 5 ou 50 funcionários, é fundamental cercar-se de profissionais altamente capacitados para suas funções.

Muitas vezes, na pressa de ver o projeto concretizado, o médico empreendedor contrata profissionais de apoio a toque de caixa, considerando apenas as informações do curriculum.

Além das habilidades técnicas, é importante avaliar fatores como o nível de motivação dos profissionais e sua capacidade de trabalhar em equipe. Uma vez contratados, reserve um tempo para treiná-los em suas funções e para dar instruções específicas sobre a cultura do seu negócio.

É comum que excelentes médicos percam pacientes por uma recepção ineficiente, desatenta ou pouco cordial, por exemplo. Portanto, não negligencie esse aspecto do seu negócio se a ideia é manter um fluxo constante de pacientes e construir um nome sólido no mercado.

6. Informe-se sobre os trâmites burocráticos

Antes mesmo de começar a atender o primeiro paciente, você precisa se informar cuidadosamente sobre os trâmites burocráticos para a abertura do consultório para garantir que o seu negócio esteja na estrita observância da lei.

É importante estar atento aos passos necessários para receber o aval da Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, entidade que normatiza esse tipo de empreendimento.

Além disso, informe-se sobre a necessidade de autorização de outros órgãos, como a prefeitura, vigilância sanitária e bombeiros, bem como os trâmites fiscais e financeiros para a viabilização do negócio, garantindo assim que o consultório não seja penalizado com multas ou outros tipos de sanções.

Gostou das nossas dicas para quem quer ser um médico empreendedor? Se você deseja investir no seu futuro profissional e alavancar sua carreira, conheça agora mesmo em uma  Pós-Graduação em Medicina promovida pelo IEFAP!

Pos graduacao em medicina IEFAP

Artigos relacionados

Deixe um Comentário